Fisiocorpore

Saúde em primeiro lugar! Com 16 anos de mercado, a Fisiocorpore atua com os fundamentos da Fisioterapia em prol da saúde, da reabilitação funcional e do bem-estar das pessoas.

Agulhamento Seco

WhatsApp Image 2017-06-30 at 13.48.04 (1) WhatsApp Image 2017-06-30 at 13.48.05 (2)

A equipe de fisioterapeutas da Fisiocorpore já conta com mais uma técnica para auxiliar na recuperação de seus pacientes: o agulhamento seco. Recentemente, o Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Coffito) considerou, por meio do Acórdão nº 481, o fisioterapeuta como profissional apto a utilizar a técnica de Dry Needling, também conhecida como agulhamento seco ou agulhamento a seco. Para o colegiado do Conselho, a técnica pode ser considerada como um segmento das áreas da Fisioterapia Manual, Muscuesquelética e Manipulativa e, portanto, de interesse dos profissionais da área.

 

O agulhamento seco é uma técnica caracterizada pela inserção de uma agulha filamentar sólida, sem medicação, através da pele, para tratar várias disfunções, incluindo – mas não se limitando – a dor miofascial, o recrutamento muscular, o controle da dor musculoesquelética em geral, regeneração e recuperação de tecidos lesados e até mesmo quadros álgicos articulares.

 

Fisioterapeutas utilizam o agulhamento asco com o objetivo de liberar/inativar os pontos-gatilhos e diminuir a dor musculoesquelética, neuropática e articular. A pesquisa preliminar apoia que o agulhamento auxilia no controle da dor, reduz a tensão muscular, normaliza a disfunção bioquímica e elétrica de placas motoras, facilitando um retorno acelerado da função.

 

Com a inserção da agulha, o ponto é estimulado, iniciando o aumento do fluxo sanguíneo na área e interrompendo o ciclo de dor, trazendo uma sensação imediata de relaxamento para o local e desfazendo o chamado “nó”. Após a aplicação, o paciente já sente o alívio das dores musculares.

 

Agulhamento ou Acupuntura? – Um ponto importante na hora de escolher, junto ao fisioterapeuta, a melhor técnica para cada caso é entender que o agulhamento não é a mesma coisa que Acupuntura. O Coffito alerta para a importância dessa diferenciação e destaca que as duas técnicas podem ser diferenciadas em termos históricos, contexto filosófico, indicativo e prático.

 

O agulhamento seco utilizado por fisioterapeutas é baseado na neurofisiologia, neuroanatomia e estudo científico moderno do sistema nervoso e musculoesquelético. A Acupuntura, por sua vez, – segundo a Sociedade Brasileira de Fisioterapeutas Acupunturistas (Sobrafisa), a Associação Nacional de Fisioterapia em Quiropraxia (Anafiq) e a Associação Brasileira de Práticas Integrativas e Complementares (ABPIC) – apresenta currículos de cursos de formação/especialização em Acupuntura baseados nas antigas teorias, princípios e práticas da Medicina Tradicional Chinesa (MTC). Os objetivos e filosofia por trás do agulhamento não se baseiam em teorias ou doutrinas da referida MTC.

 

A acupuntura visa o reequilíbrio energético através da harmonização do funcionamento dos órgãos internos, sendo capaz de melhorar dores, sejam estas musculares ou não, além de outras muitas doenças. Por mais que a dor seja muscular, avalia-se também os órgãos internos, a fim de detectar se a causa da mesma pode ser o desequilíbrio energético causado por determinado órgão ou sistema. Se for este o caso, trata-se também o ponto referente a tal víscera.

 

O Dry Needling, por sua vez, visa diminuir a dor muscular através do agulhamento dos pontos gatilhos, sendo eficaz apenas em casos de dores músculo-tendíneas.

 

 

Fontes:

http://www.coffito.gov.br

http://fisioterapiadenisepripas.blogspot.com.br